fbpx

Conheça aqui a Família Escola de Estilo e perceba o que nós podemos fazer por você!

São centenas de alunos formados por nosso método, pessoas que deram um grande passo rumo à sua realização pessoal e profissional e hoje nos ajudam a espalhar a semente do autoamor.

Cristiane Soffiatti

“O Curso de Personal Stylist transformou o meu jeito de trabalhar com MODA”

É proprietária de uma loja de roupas femininas no interior de Minas Gerais – Uberaba.

Elizangela Maria

“Superei o Luto e hoje tenho a minha empresa!’

Elizangela saiu do Luto e deu a volta por cima! Hoje ela ganha dinheiro com MODA trabalhando de casa e tem tempo para se dedicar à família.

Thaynara Delage

Montei a minha empresa em um momento de crise”

Thaynara colocou em prática tudo o que aprendeu no curso de Personal Stylist. Hoje ela tem uma empresa e ganha dinheiro com moda!

Denise Ribeiro

“Saí da dificuldade financeira e hoje ganho dinheiro com MODA”

Após dois meses de curso, Denise conseguiu clientes e eliminou todas as dificuldades financeiras

Adriana Pires

“Abandonei minha profissão de delegada para viver a minha VERDADEIRA paixão: MODA”

Tinha uma profissão estabilizada e um salário ótimo. Mas nada disso me fazia feliz, pois minha paixão é MODA! Comecei o curso de Personal Stylist e hoje estou realizada!!

Karina Tschiuvaliski

“De SECRETÁRIA a STYLIST dos maiores cantores POP do Brasil”

Karina era secretária de multinacional e hoje trabalha na produção de estilo das estrelas que são as maiores referências pop do Brasil!!

Ana Paula Hein

“Ela acreditou e chegou lá!”

Ana sonhava em ser Personal Stylist. Ela conseguiu e hoje ganha um bom dinheiro fazendo o que ama e ainda tendo tempo livre para se dedicar à família.

Flávia Moura

“Comecei meu sonho em Barcelona”

Comecei meus estudos de Consultoria de imagem pela Escola de Barcelona, mas infelizmente este curso não me deu segurança e nehuma orientação necessária para trabalhar nessa profissão!

Com o término do curso em Barcelona, pesquisei outras Escolas de Moda para me aprofundar mais na carreira…. Filtrei bastante até encontrar a Escola de Estilo. Me encantei!!

Recebo todas as orientações que eu preciso e o suporte é incrível! Gratidão por tudo.

Valéria Di Miletta

Nasci com a MODA na alma!

Meu nome é Valéria, sou de Itápolis – interior de SP, tenho 46 anos, casada e com 3 filhos de 4 patas.

Na adolescência, tinha uma boutique bem bacana aqui na minha cidade e eu sempre pedia para minha mãe comprar roupa para mim lá. Ia tanto nessa loja que aos 16 anos realizei um sonho que era trabalhar lá. De lá pra cá sempre trabalhei como vendedora em várias lojas e sempre falando:

Um dia terei a minha loja!

Glória Mariza

“Saiu do luto eterno e deu a volta por cima”

Vou falar um pouco disso, pois muitas mulheres vivem lutos eternos e demoram para dar a volta por cima: “Eu era até aqui vaidosa, estilosa, elegante e muito feminina”

Nasci em 1972, sou mãe de duas moças e um rapaz e avó de um casal de netos lindos, moramos em americana interior de São Paulo. Solteira, meu companheiro sofreu um grave acidente no dia 21/09/2001, a última vez que o vi bem foi no dia 11 no mesmo dia da queda das torres gêmeas.

Eu vou me referir apenas aos fatos do acidente e todo seu enredo para não se estender. Quando meu esposo sofreu acidente eu estava grávida de 4 meses, e recebi a notícia em um Sábado de manhã, segui ao hospital da Unicamp – Campinas, sem imaginar a gravidade.

Quando recebi a notícia que já faziam mais de 6 horas que ele estava na sala de cirurgia eu pensei “meu Deus o que houve? ”, todos diziam que era grave, quando eu vi o motorista da kombi que ele estava cheio de sangue, abatido e chorando ao me ver foi o sentimento mais triste que eu tive na vida, ali senti que eu tinha perdido algo importante, foi então onde ele me abraçou e me pediu perdão, pois ele bateu na traseira de um caminhão parado e pegou do lado do carona onde meu marido estava dormindo.

Franciele Morais

Já escutei de várias pessoas: – ‘Como ela trabalha com moda se ela não enxerga muito bem?’

Franciele Morais nos conta como venceu a limitação física e HOJE se tornou REFERÊNCIA de moda para muitas pessoas. Leia o artigo completo e compartilhe com amigos essa injeção de inspiração!!

Meu nome é Franciele Morais, tenho 26 anos e sou de Carmo do Paranaíba interior de MG (bem interior mesmo), uma cidade com cerca de 30 mil habitantes.
Me formei em design de moda na cidade de Uberlândia e retornei para minha cidade, pois apesar de acreditar que na cidade grande eu teria mais oportunidades de trabalho, como sou filha única queria morar próximo dos meus pais. Três meses depois de voltar para minha cidade consegui o emprego de estilista em uma loja de tecidos da cidade.

Eu já conhecia a área de consultoria de imagem e Personal Stylist (durante a faculdade), mas como não é um tema estudado na faculdade de design de moda, assim que comecei o meu trabalho busquei um curso que pudesse me dar assistência para melhor atender os clientes na loja.

Fiz um curso a distância que em parte teórica era bom, mas não trazia estímulo e nenhuma visão empreendedora da carreira, e por causa disso, eu raramente fazia atendimentos particulares só usava os conhecimentos dentro da loja mesmo. Quatro anos depois, em 2017, fui demitida. No início não sabia o que fazer ou que me dedicar.

Andresa Maia

“Larguei meu emprego numa multinacional visando equilíbrio de vida”

Andresa Maia nos conta como largou o emprego e foi em busca pela sua realização pessoal. Inspire-se com essa injeção de coragem pela busca da plena felicidade.

Ousei e estou mudando de profissão: 2017 virando a mesa!!!
Por 20 anos trabalhei em multinacionais, adquiri muita experiência e conquistei o meu espaço, ótimo salário e benefícios, além de um excelente ambiente de trabalho, raro hoje em dia.

Mas com o nascimento da minha filha muita coisa mudou, minha cabeça não era mais a mesma
e as prioridades passaram a ser outras.

Passei a não ter mais tanta satisfação com a minha carreira, talvez pela tamanha dificuldade em conciliar a vida profissional dentro de uma empresa com a maternidade. Mas o que fazer se durante a maior parte da minha existência foi dentro do mundo corporativo? Duas coisas eu tinha absoluta certeza essa rotina não poderia continuar e parar de trabalhar não era uma opção.